Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

Reforma Política

Plebiscito Popular por uma Constituinte exclusiva e soberana do Sistema Político brasileiro!

'

Canal DCE

Veja os vídeos do DCE no youtube

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Mesmo depois do compromisso firmado pela prefeitura, estudantes de Ceará-Mirim continuam sem ônibus.


Quinta-feira , 31 de julho de 2014, em reunião com a Chefe de Gabinete da Prefeitura de Ceará-Mirim, Luíza Moreira, no prédio da prefeitura municipal, às 10:30 horas da manhã, os Coordenadores de Assuntos Estudantis, Débora do Nascimento Felipe, e Imprensa e Divulgação, Anaxágoras Lopes Vital, do Diretório Central Estudantil da UFRN, DCE José silton Pinheiro, entregaram um documento solicitando resolução para o problema da insuficiência na frota de ônibus que transporta os estudantes universitários da cidade.

A curto prazo, os coordenadores propuseram a disponibilização imediata de mais um ônibus para transportar os alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Instituto Federal De Ensino Tecnológico do Rio Grande do Norte e, a longo prazo, a criação de uma comissão para discutir e planejar as ações possíveis para a melhoria do transporte estudantil do ensino superior de Ceará-Mirim.

A partir dessa conversa, no mesmo dia, os representantes do movimento estudantil foram encaminhados para uma reunião com a Secretária Municipal de Educação, Ângela Paiva, que garantiu dar uma resposta sobre a situação até a quarta-feira seguinte(06/08). Nessa data a Secretaria Municipal de Educação contatou o coordenador Anaxágoras  Lopes Vital e garantiu que na segunda-feira seguinte (11/08) o novo ônibus já estaria circulando. Infelizmente, até a presente data, o ônibus ainda não passou a fazer parte da frota e os alunos continuam na espera. 

Mesmo assim, o DCE continuará insistindo e lutando para que o problema desse ônibus seja resolvido. 

Segue abaixo o documento que foi entregue à chefe de Gabinete Luíza Moreira e à Secretária Ângela Aquino no dia 31 de julho. 



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Movimentações contra o aumento da passagem não vão parar, afirma Coordenador Geral do DCE da UFRN.


"Continuaremos a ocupar as ruas, praças, escolas e universidades na luta pela revogação do aumento e, principalmente, por outra política de transporte pra cidade."

Em resposta a confirmação do aumento da tarifa de ônibus de Natal para R$2,35, definida hoje, (23/07) em reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito Urbano de Natal, na sede da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), o Coordenador Geral do DCE da UFRN, Gabriel Medeiros, e membro das comissões que organizam as movimentações contra  o aumento da passagem em Natal, afirmou em seu perfil social do facebook que as manifestações que estão ocorrendo não vão parar. Ele afirma que os vários movimentos envolvidos continuam organizados e que haverão novas manifestações.

Via esseshumanos.blogspot.com.br

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Plano Nacional de Educação aponta novas metas para universidades

A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Angela Paiva, considera que as diretrizes do novo Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado esta semana na Câmara dos Deputados são amplas, “mostram que a proposição vai além de preocupações internas e coloca as questões educacionais em uma perspectiva ampliada de desenvolvimento social e humano".

O texto aprovado eleva para 10% do Produto Interno Bruto (PIB) os investimentos em educação nos próximos dez anos e aponta novas metas para as universidades. Na avaliação de Angela Paiva, o PNE pode ser visto como “uma política pública com foco nas pessoas, em vez de uma política com foco no sistema de educação ou no sistema socioeconômico”.

A gestora destaca algumas das metas para o ensino superior que, ao seu ver, trazem alento às universidades: elevar, gradualmente, a taxa de conclusão média dos cursos de graduação presenciais nas universidades públicas para 90%; ofertar um terço das vagas em cursos noturnos; elevar a relação de estudantes por professor para 18; elevar a qualidade da educação superior pela ampliação da atuação de mestres e doutores nas instituições de educação superior para 75%, no mínimo, do corpo docente em efetivo exercício, sendo, do total, 35% doutores e duplicar as matrículas da educação profissional técnica de nível médio, sem prejudicar a qualidade da oferta.

No caso da UFRN, a prioridade é atingir a taxa de matrícula. Para a reitora “O mais importante para a Instituição é atingirmos a meta de matrículas no ensino superior, ou seja, elevarmos a taxa bruta de matrícula para 50% e a taxa líquida para 33% da população de 18 a 24 anos, assegurando a qualidade da oferta”.

Outras diretrizes do PNE colocam como meta para os próximos dez anos a erradicação do analfabetismo no país, a universalização do atendimento escolar, a superação das desigualdades educacionais e o estabelecimento de metas de aplicação de recursos públicos em educação com proporção no PIB. O texto-base aprovado tramitava há três anos no Congresso Nacional e ainda pode ser alterado.

Via UFRN.br

quinta-feira, 22 de maio de 2014

UFRN realiza seminário – Eleições 2014: o desafio da profissionalização

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte, através do Departamento de Políticas Públicas, realizará sexta-feira (30), às 08:30 da manhã, no auditório da biblioteca central Zila Mamede, o seminário “Eleições 2014: o desafio da profissionalização”.
A trivialização do regime democrático e da consequente disputa eleitoral aberta e competitiva é um dado estabelecido no Brasil. Diante de tal realidade, os candidatos e suas respectivas máquinas partidárias atuam com o pleno intuito de potencializar a atividade de convencimento e captura de votos. Nesta lógica, não há espaço para amadorismos. O fenômeno de profissionalização da eleição é algo que interessa, tanto acadêmicos, como também aspirantes e especialistas consagrados do campo da política.
Pensando em refletir acerca do tema, o seminário trará quatro palestrantes no período matutino e uma oficina com dois profissionais no turno vespertino. No encontro, será possível compreender o cenário eleitoral, a partir da palestra do Professor da UFRN, Doutor em Ciência Política (IUPERJ) e ex Consultor em Brasília, Alan Lacerda. Logo em seguida, o Mestre em Ciências Sociais (UFRN), especialista em Marketing (FGV), com vasta experiência na área, Bruno Oliveira, lancará luz sobre o papel do marketing e do planejamento de campanha numa eleição. O seminário também contará com palestra do professor do Departamento de Ciências Sociais, Doutor em Ciências da Comunicação (USP) e pesquisador da relação entre Mídia e Política, João Emanuel. O advogado (UFRN) especialista em Direito Eleitoral, Vice-Presidente do Instituto de Pesquisa em Gestão Pública (IPGP) e com assessoramento a candidatos e partidos políticos, Caico Vitor, finaliza a atividade da manhã.
ps-eleicoes2014-palestrantes-v3
Na oficina “Pesquisas Eleitorais e Estratégias de Campanha”, que se inicia às 14:00 do mesmo dia, no Setor II, Sala B-4, o professor substituto da UFRN, Daniel Menezes, Doutor em Ciências Sociais (UFRN) e Diretor do Instituto Seta de Pesquisas, trabalhará os meandros constitutivos dos Levantamentos Eleitorais. Logo em seguida, Anderson Cristopher, doutorando em ciências sociais (UFRN), professor substituto da UFRN e consultor político, fala sobre a formação das Estratégias Eleitorais.
foto
O seminário “Eleições 2014: o desafio da profissionalização” é direcionado para aqueles que trabalham, direta ou indiretamente, com eleições, tais como pesquisadores, jornalistas, marketeiros, políticos, assessores, membros do judiciário, estudantes, além de todos aqueles que se interessam em saber como se processam as atividades de campanha, a análise de conjuntura, o marketing e planejamento, a relação entre mídia e política, o direito eleitoral, a pesquisa e a composição das estratégias eleitorais. A ideia é oferecer uma análise compacta sobre os principais pontos concernentes ao papel desempenhado pelos profissionais da eleição.
O evento é gratuito e conta com o apoio da Agência de Marketing Plano B e da Revista Carta Potiguar.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

DCE convoca os estudantes par ATO pela Assistência Estudantil na UFRN

Foi com muita luta que o DCE, ao longo dos anos, conseguiu articular junto à reitoria e a PROAE alguns programas que beneficiam o estudante carente e que o auxiliam a conseguir continuar seu curso na universidade. 

Quando um direito que já foi conquistado não mais funciona ou está defasado, é hora de lutarmos por ele. O DCE convida você a ir a luta pelo aumento do auxílio residência e pelo pagamento do bolsa creche.

Lembrando que Assistência Estudantil não é favor da universidade, é direito do estudante!




sexta-feira, 9 de maio de 2014

UFRN e a verdadeira face de uma realidade maquiada

 Ontem por volta das 18:30, estudantes da FACISA, UFRN Santa Cruz, realizaram grande manifesto em prol de melhorias estruturais e acadêmicas. Em rede social a Coordenadora Geral do Diretório Central dos Estudantes da UFRN, Daniella Araújo, expõe o pensamento da coletividade acadêmica em desabafo:

PROTESTO NA FACISA: ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL CADÊ VOCÊ?

Tem gente que ainda não se tocou que o povo está cansado de demagogias, instrumento de credibilidade comumente utilizado pela velha classe política para ambições eleitorais.

Na UFRN em Santa Cruz -FACISA não é diferente, os estudantes sentem na pele o uso eleitoreiro das *bolsas* que deveriam ser Assistência Estudantil mas, não passam de programas que servem para elastecer os problemas vésperas as eleições, demonstrando como ainda funciona aquela velha política dos coronéis que dominavam a região, com aquele toma lá da cá. Assistência estudantil é uma coisa, assistencialismo barato é outra. A primeira liberta, a segunda escraviza. Assistência estudantil é direito, não é favor!”

                Acadêmicos de todos os cursos ofertados pela instituição tentam trazer à tona a verdadeira face de uma realidade maquiada mostrando a real situação dos estudantes nas precárias condições atuais, entre eles a estudante de Enfermagem Luana Medeiros publica pauta sobre alguns (dos vários) motivos apontados na realização da manifestação: “Em virtude do descaso ao abandono sofrido pelas instâncias as quais deveriam nos gerir, formulamos a presente pauta apontando as reais necessidades nas quais passam despercebidas aos olhos dos que do alto do poder não conseguem enxergar.

”Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes... III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;...”

“Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.”

* AUXILIO ALIMENTAÇÃO
O valor em repasse (CENTO E CINQUENTA REAIS), é insuficiente para suprir necessidades básicas nutricionais dos estudantes, pedimos uma avaliação de valores, assim como maior transparência sobre a regulamentação de data precisa para repasse deste auxílio estudantil; Além de que, no CERES (Currais Novos e Caicó) o valor do Auxílio Alimentação é de R$300,00. Por que na FACISA é R$150,00?
* ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL
Pedimos maior participação da direção e PROAE na vida estudantil para maior acompanhamento dos problemas enfrentados tanto em sala de aula, como fora dela que se entrelaça no ramo acadêmico. Pedimos assistência:
* Para os estudantes estagiários: Em virtude da necessidade prática dos cursos ofertados pelo campus, somos lesados financeiramente e moralmente com prejuízos que cobrem desde a locomoção municipal para os estabelecimentos de saúde, até com o esgotamento físico/psicológico ocasionado pela falta de centro para descanso e alimentação extra nos campus localizados em outros municípios, englobando não apenas residentes, mas todos os alunos do campus que necessitam desta atenção.
* Para os estudantes de outros municípios que por sua vez, são forçados a passar o dia fora de suas casas sem nenhum amparo para suas necessidades privativas entre horários que deveriam ser de descanso para todos os estudantes e funcionários da instituição;
* Para os residentes que enfrentam problemas diários que vão desde estrutura física do prédio até ao prejuízo intelectual por falta da assistência que nos é negada.
* MANUTENÇÃO DO PATRIMÔNIO
Apesar de recém-inaugurada, a Residência Universitária já se encontra em estado crítico resultante do mau planejamento e instalações precárias que se mostram no decorrer dos ambientes, representando um risco a integridade física e intelectual dos residentes.
* SEGURANÇA
Pedimos também maior segurança para o patrimônio e para os estudantes em virtude dos crescentes assaltos ocorridos pela cidade inclusive aos arredores da residência. Ano passado, 2013, nos foi prometido verbalmente a instalação de câmeras de vigilância, assim como disponibilização de armamento para vigilantes, ainda aguardamos pacientemente por alguma resposta sobre o assunto.
* AUXILIO TRANSPORTE
Consideramos a possibilidade de auxilio transporte em virtude da necessidade de novas vivências acadêmicas assim como para retorno as respectivas cidades de origem, fazendo parte integral a saúde mental dos estudantes.
* PARTICIPAÇÃO ESTUDANTIL
Queremos também maior participação estudantil sobre tomadas de decisões que abordem a todos para evitar maiores inconveniências, prejuízos esses que vão desde uma “simples porta de vidro” até na escolha e classificação de professores substitutos, afinal, esses e muitos outros são assuntos voltados diretamente ao interesse do corpo estudantil e estamos cansados de embates e consequências perceptíveis ao longo dos períodos letivos com desfragmentação de conteúdos e consequente quebra de desenvolvimento intelectual.
* AMPARO AOS ESTUDANTES
‘Vai e vem’ Chega de sermos tratados como brinquedo de criança, aqui exigimos respeito pelos superiores, exigimos rapidez na construção de espaço de convivência para os alunos, exigimos salas de monitoria fixas, exigimos sala para reuniões (projetos, grupos de estudo), salas abertas antes das aulas, exigimos por fim espaço para acolhimento, troca de experiências, convivência integrada pois “nem só de pão vive o homem”, precisamos de relações sociais que transcendam relações acadêmicas, pois sem isso a universidade deixa de ter esse título para virar instituição de ordem mecânica, para moldar “peças” e jogá-las no mercado de trabalho, como exigir de nós, como futuros profissionais de saúde a tão discutida humanização na assistência se isso passa a distância do modo da formação a qual é nos fornecida?
* ATENÇÃO PSICOLÓGICA
Devido ao modo de vida acadêmico sobrecarregado ao qual estamos inseridos, sem nenhum aporte emocional, individual ou coletivo.
Contudo, o que pedimos é o voltar do olhar também para “os marginalizados”, é o escutar da nossa voz que clama por socorro em condições subumanas as quais nos sufocam e que em último esforço não nos deixamos oprimir, então imploramos, nos deem voz, nos deem ouvidos, mas, por favor, não nos tragam mais o silêncio de ações vagas porque isso já transcende nossa despensa, aliás, é só o que tem lá.”

 Santa Cruz – RN
08 de Maio de 2014

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Reforma e ampliação do CB beneficia pesquisa genética da UFRN na fauna e flora

Dentro de um ano, as coleções biológicas da fauna e flora potiguar, oriundas de projetos de pesquisa do Centro de Biociências (CB) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), estarão armazenados e/ou acondicionados mais adequadamente, conforme ocorre nas demais instituições de pesquisa do país.

Para tanto, a reitora Ângela Paiva Cruz autorizou na manhã desta sexta-feira, 2, o início das obras dos espaços que vão abrigar as coleções biológicas dos projetos e cursos de pós-graduação do CB. Além dessas, foram contratados, também, o equipamento do sistema de transporte vertical e as reformas nos departamentos que integram o Centro de Biociências.

Dirigentes e pesquisadores do Centro de Biociências, da Superintendência de Infraestrutura e representantes de construtoras participaram das assinaturas dos contratos que totalizam 2 milhões, 18 mil e 346 reais de recursos provenientes do CT-INFRA/FINEP e da própria UFRN.

Para a pesquisadora Eliza Maria Xavier Freire, o investimento nessas obras “confirmam a responsabilidade que a universidade tem perante a pesquisa em ciências biológicas, sobretudo com o patrimônio genético”.

Ao concordar com a pesquisadora, a reitora reconheceu que “a luta e a conquista de condições favoráveis ao desenvolvimento da pesquisa científica institucional nessa área de conhecimento é da comunidade científica do Centro de Biociências, para a qual a atual gestão da UFRN se empenhou no sentido das melhorias serem concretizadas”.

Ao agradecer o empenho da gestão, o vice-diretor do CB, professor Jeferson de Souza Cavalcanti, ressaltou que “o investimento é necessário para que os pesquisadores possam produzir para a comunidade”.

Pesquisadora do CB e vice-reitora, Maria de Fátima Freire de Melo Ximenes considerou que “as obras contratadas no dia de hoje vão assegurar a manutenção das coleções e possibilitar, em breve, o compartilhamento de informações e de bancos de organismos e de células com outros centros de pesquisa do país e do mundo”. 

As obras

As reformas e a ampliação das instalações do CB serão executadas pelas construtoras L&L Engenharia LTDA e Areta Construção, Comércio e Serviços Ltda. Conforme prevê os contratos, os trabalhos de melhoria nos departamentos devem ficar prontos em 151 dias. O restante do serviço contratado deve ser entregue dentro de 301, ou seja, quase um ano.

Para o pró-reitor de Pesquisa, Valter José Fernandes Júnior, “trata-se de uma obra importante porque vai beneficiar uma área de produção e conhecimento que é referência no Brasil e no exterior”.